Crítica| Cine Holliúdy 2: a Chibata Sideral

A popularização da televisão no fim dos anos 70 mudou radicalmente a rotina dos brasileiros. Inclusive a de Francisgleydisson (Edmilson Filho) que se viu obrigado a fechar o Cine Holliúdy, seu cinema tão querido. Endividado, ele acaba indo morar na casa da sogra, Ceiça (Gorete Milagres). Durante um passeio inocente pós “happy hour” Edmilson avista uma nave alienígena que abduz seu amigo e então uma ideia brilhante toma conta de sua cabeça: fazer um filme de ficção científica e alienígenas.

Com uma evolução emocionante dos personagens já conhecidos e amados e a inserção de alguns novos que incrementam a mais a trama, o longa se desdobra e também deixa espaço para uma parte três, quatro, quantas a imaginação mandar. Com o “cearensês” que o Brasil aprendeu a amar, as tiradas vêm com ainda mais provocações e reflexões sobre a conjuntura atual do país. A batalha épica entre Lampião e o Alien numa chibata sideral se utiliza de mais efeitos visuais com a criatividade e destreza que mesclam perfeitamente com todas as diversas nuances da narrativa. As cores mais vivas e brilhantes e o figurino “de tudo um pouco” são o charme da produção. Todos os detalhes são deliciosamente caricatos e alcançam o objetivo de fazer rir, entreter. Em contrapartida, os diálogos provocam e sensibilizam, enriquecendo a experiência do espectador.

Uma família em crise que mesmo com todas as adversidades permanece unida para lutar por um sonho; e o time de peso e feiúra orgânica que compra esse sonho demonstram o quão forte pode ser um laço feito por um teste de elenco. A produção de um filme, dentro de um filme. A metalinguagem utilizada por Halder Gomes vai além: não mexe somente com os significados, mas com os sentimentos de quem é apaixonado por cinema. Repleto de referências a clássicos amados por muitos, Cine Holliúdy 2: a Chibata Sideral traz uma mistura de culturas ainda mais complexa que o primeiro longa, mas sem perder a identidade e o gostinho do Nordeste.

Nota da crítica: 03 peixeiras de luz (É Massa!)

Confira o trailer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *