Crítica | Vingadores: Guerra Infinita

Finalmente! Foram dez anos até o Universo Cinematográfico da Marvel chegar a esse momento tão épico. Vingadores: Guerra Infinita – 19º filme do UCM – chegou aos cinemas trazendo o ápice de toda a história construída durante esse tempo, abordando a jornada de Thanos em busca das jóias do infinito. E o filme já começa deixando claro que o Titã Louco não está de brincadeira e o quão poderoso ele é. Sem dúvidas, um dos maiores vilões da história do cinema.

Apesar de ter intenções que envolvem destruição em escala universal, Thanos tem momentos de reflexão e, por alguns instantes, faz com que as pessoas pensem: “é… até que ele tem certa razão nisso tudo”. Cruel, temido, mas também com sentimentos controversos. Este é o maior desafio dos Vingadores, Guardiões da Galáxia e aliados – que não poderiam dar conta de uma ameaça como esta individualmente (mas será que unidos conseguem? Não iremos dar spoilers aqui).

Thanos, o Titã Louco. (Foto: Divulgação)

Em uma proximidade muito latente com as HQs, vemos núcleos de personagens bem divididos, cada um com seu tempo de tela e seu papel na história bem definidos. É magnífico ver o encontro de Thanos com Hulk e as participações de Homem-Aranha, Capitão América, Homem de Ferro e Thor – este com mais tempo de tela que os demais heróis, já que possuiu uma jornada à parte, com um objetivo significativo para o desenrolar do longa. A interação dos Guardiões com os Vingadores é engraçada, funciona e promete ainda mais para a continuação.

O filme não é cansativo e é prazeroso ficar diante da telona por mais de 2 horas e 30 minutos. A Marvel nos deu um presente maravilhoso, mas que dói muito. E é justamente essa dor que faz a história ser tão impactante. Vingadores: Guerra Infinita não é apenas um filme de super-heróis. É um legado. Nunca imaginávamos que um dia veríamos algo assim. Tantos personagens num único filme e com uma sintonia que funciona. Perdas, emoções, empolgação, tristeza, raiva, alegria… São muitos sentimentos durante os atos.

Se você acompanhou trailers e vídeos promocionais e imaginou que eles estavam “entregando” muita coisa, fique tranquilo, você se enganou. Muitas surpresas fazem parte de Guerra Infinita, envolvendo as jóias do infinito e personagens de outras produções do UCM. Realmente a Casa das Ideias sabe o que está fazendo e conseguiu deixar muitos segredos intactos.

Entradas triunfais de alguns heróis, o humor de sempre presente na Marvel, efeitos visuais “arretados” e mais uma direção fantástica de Joe e Anthony Russo. Um final impressionante, mas que deixa claro: ainda não acabou. Eu poderia escrever mais, mas deixo que vocês descubram e sintam. Prefiro dizer que é um espetáculo e que o show ainda vai continuar. E diante de tudo que já vemos até aqui, a sensação é de que a Marvel não irá nos decepcionar.

Nota do crítico: 5 Peixeiras de Luz (EXCELENTE)

confira o Trailer:

Confira a Sinopse:

Uma jornada cinematográfica sem precedentes produzida por dez anos através todo o Universo Cinematográfico da Marvel, Vingadores: Guerra Infinita traz para as telas a batalha definitiva e mais mortal de todos os tempos. Os Vingadores e seus super-heróis aliados precisam estar dispostos a sacrificar tudo em uma tentativa de derrotar o poder de Thanos antes que sua onda de devastação e ruína coloque um fim no universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *