Crítica | Dunkirk: a guerra em vários ângulos

A guerra em vários ângulos. É assim que Dunkirk mostra os acontecimentos da Segunda Guerra Mundial, que afetaram a vida de milhares de pessoas, de diferentes formas. Um tom dramático excelente que aborda o sofrimento, o medo e o desejo de voltar para casa que os diversos soldados carregam no campo de batalha. É uma luta pela sobrevivência. A morte pode chegar a qualquer momento.

Christopher Nolan conseguiu transformar uma “derrota” em “vitória”, mostrando que continuar vivo é um ato de bravura. A carga emocional é intensa em alguns momentos, provocando inquietação e preocupação. Com muito barulho – algo característico de Nolan -, sentimos o medo vivido pelos personagens. Mas a coragem de estar ali, defendendo seu país, e ainda retornar para os braços da família, é o triunfo que o longa destaca. É como se os soldados estivessem gritando: eu quero viver!

Com uma ótima atuação de Fionn Whitehead – que interpreta Tommy – vemos as diversas faces que uma guerra pode provocar. Não são apenas os momentos obscuros e sangrentos dos confrontos, mas a vontade de continuar respirando. Acredito que nenhum outro filme retratou a guerra tão bem. Histórias simultâneas que vão se desenrolando durante a trama, e causando expectativa em quem está assistindo.

Um jovem garoto que decide não ficar de braços cruzados. Um piloto que arrisca a vida. Um soldado no fogo cruzado por um amigo. A perda de alguém querido. Civis que se tornam guerreiros. Histórias que os campos de batalha criam. Heróis que nascem. Achei que o Batman apareceria em algum momento (um misto de risos com uma emoção em frente à tela).

Sem dúvidas, Dunkirk é uma ótima opção para quem quer se emocionar um pouco e refletir sobre a vida. É impactante. Tenho minhas ressalvas quanto ao roteiro, que poderia ser mais amarrado. Mais aprofundado. No entanto, ainda assim é uma ótima produção, com a peculiaridade de Christopher Nolan, que muitos já conhecem. Vale a pena assistir Dunkirk. Os anônimos são os protagonistas.

Nota do Crítico: 4 Peixeiras de Luz (ótimo)

Sinopse:

Na Operação Dínamo, mais conhecida como a Evacuação de Dunquerque, soldados aliados da Bélgica, do Império Britânico e da França são rodeados pelo exército alemão e devem ser evacuados durante uma feroz batalha no início da Segunda Guerra Mundial.

Trailer:

Um comentário em “Crítica | Dunkirk: a guerra em vários ângulos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *