Crítica | Bingo – O Rei das Manhãs

Um palhaço nem sempre está sorrindo. Em Bingo – O Rei das ManhãsVladimir Brichta consegue trazer com maestria os bastidores da história de um dos personagens mais icônicos da TV Brasileira: o Palhaço Bozo! Sim, o longa é baseado em fatos reais, narrando momentos da vida de Arlindo Barreto, que esteve por trás do símbolo de muitas crianças na década de 1980. Sem dúvidas, uma atuação impecável de Brichta, que, na minha opinião, encontrou seu ápice neste filme, que é engraçado e dramático ao mesmo tempo.

Augusto Mendes (Vladimir Brichta) quer alcançar a fama. Ele é um ator que busca o reconhecimento e esbarra em alguns percalços nesse caminho, até que um teste na TVP (TVS/SBT) mudou sua vida completamente. Mas qual o preço de ser um fenômeno e líder de audiência todas as manhãs? Cocaína, prostituição e problemas com o filho, que acaba não tendo o que as outras crianças têm, fazem parte da rotina dupla do personagem

Nos bastidores era bem diferente. (Foto: Divulgação)

 Como uma figura que representa pureza, ingenuidade e alegria pode ter um lado tão conturbado? A felicidade por trás das câmeras é enganosa, e Augusto não percebe isso, a princípio. Os dois lados do palhaço são vistos e você vai sentindo junto com ele as mesmas emoções. Ficamos querendo o que ele quer e, no fim, nos emocionamos e repensamos algumas coisas também junto com ele.

Outro fator interessante é o mergulho que o longa nos proporciona nos anos 80, mostrando como a televisão funcionava naquela época e de como a censura era menos imposta na grade das emissoras. Fato que nos leva também a elogiar o figurino e os cenários, que procuraram respeitar cuidadosamente o “estilo” de quase quarenta anos atrás.

Ótimo roteiro de Luiz Bolognesi e direção competente de Daniel Rezende. Destaque também para a fotografia do filme, que não deixou a desejar. Esperava um pouco mais da trilha sonora, mas não é algo que atrapalha tanto. Bingo – O Rei das Manhãs é muito bom e vai fazer você sorrir e se emocionar. A estreia está marcada para quinta-feira (24).

Nota do crítico: 4 Peixeiras de Luz (Ótimo)

Sinopse: Cinebiografia de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo no programa matinal homônimo exibido pelo SBT durante a década de 1980. Barreto alcançou a fama graças ao personagem, apesar de jamais ser reconhecido pelas pessoas por sempre estar fantasiado. Esta frustração o levou a se envolver com drogas, chegando a utilizar cocaína e crack nos bastidores do programa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *