Crítica | O Diário de um Banana: Caindo na Estrada

Por Rayane Santos

Após cinco anos sem dar continuidade a série do livro homônimo, ‘O Diário de um Banana: Caindo na Estrada’ nos recebe com certas mudanças: não somente o elenco, como a interpretação dos personagens tornaram-se diferentes do que se é acostumado ou esperado pelo público que acompanha tanto o livro quanto o filme.

A mudança do elenco ocorreu porque os atores mirins dos três primeiros filmes cresceram, deste modo não podiam mais exercer os antigos papéis. Impactados logo de cara, grande parte do filme segue o formato road movie, dando mais ênfase na viagem em si. Além disso, as novas interpretações deram até personalidades distintas aos personagens, perceptivelmente visto em Rodrick (interpretado por Charlie Wright), aderindo uma postura mais imatura.

Dirigido por David Bowers, a trama atinge seu objetivo em prender o espectador e diverti-lo diante das situações passadas por Greg (Jason Drucker) e sua família. Ainda inseriu um pouco da realidade não muito diferente da nossa: a onipresença dos eletrônicos no dia a dia. Por conta disso, a mãe, Susan (vivida por Alicia Silverstone), buscava afastá-los dos celulares para que pudessem ter um momento em família digno. Sendo este desejo de Susan, ganha um destaque moderado no desenrolar do filme.

As interações e a aproximação da família Heffley pareciam constantemente forçadas. Contudo o filme leve a pena, ainda que tenha apelado para os clichês cômicos e alguns personagens caricatos, só pela criatividade em refazer a famosa cena do filme Psicose do ano de 1962, de Alfred Hitchcock. Além de marcar com a música Wannabe de Spice Girls e contar com a trilha sonora de Edward Shearmur para acompanhar as cenas pitorescas. Assim sendo, o filme é ideal para quem procura algo para assistir em família ou se divertir um pouco.

Data de Lançamento: 10 de agosto de 2017.

Nota do Crítico: 2,5 Peixeiras de Luz (Razoavelmente bom)

Sinopse:

Greg (Jason Drucker) convence sua família a embarcar numa viagem para ir ao aniversário de 90 anos de sua avó. Mas, na verdade, o que ele realmente quer é assistir a uma convenção de gamers. Sem surpresas, as coisas não vão de acordo com o planejado e as palhaçadas da família Heffley começam a acontecer.

Trailer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *