Crítica: Planeta dos Macacos – A Guerra

O último filme da trilogia carrega uma história independente, mas cheia de referência aos dois primeiros – Planeta dos Macacos: A Origem (2011) e Planeta dos Macacos: O Confronto (2014). E mesmo quem não assistiu a eles conseguiu se ambientar na trama perfeitamente. Referências essas, que  fazem você querer ir assistir aos outros filmes assim que sair do cinema. A abertura da Fox com o tom animalesco já inicia o ritmo do filme, que faz jus ao nome. O clima é de guerra desde o início “tiro, porrada e bomba” pra ninguém botar defeito.

A guerra entre humanos e símios está mais perto do auge, e o mundo, mais perto do fim. César e seus companheiros estão sendo caçados pelo Coronel (Woody Harrelson) e se veem obrigados a sair de seu lar em busca de um lugar mais seguro. A crítica nem um pouco subliminar aos humanos que querem ser deus, é um dos pontos chave da trama. O vírus da gripe símia evoluiu e está sendo responsável pelo regresso do homo sapiens na escala evolutiva. E esse regresso começa com a perda de um dos dons que mais nos diferencia dos demais: a fala. O que traz à tona o medo da raça símia dominar a humana como grande motivo para o início e insistência dos humanos na guerra. É o clássico do criador que se volta contra a criatura.

E então quem até agora torcia para o “time dos humanos” talvez mude seus conceitos.  A trama, ao se aproximar mais do ponto de vista de César, de sua família e amigos faz a gente perceber que os sentimentos dos macacos são tão evoluídos quanto sua inteligência. Sacrifício, compaixão e união são lições e ações muito presentes durante todo o filme. “Apes are strong together!

O filme tem alguns respiros cômicos, uma humana protegida pelos macacos, e alguns macacos que traíram sua própria espécie. O ritmo é um pouco arrastado em alguns momentos, mas nada que atrapalhe o andamento ou a compreensão da história. Alguns conflitos internos levantados pelo César e também pelo Coronel dão a carga dramática para que possamos pensar que dentro de uma guerra e também das pessoas ou macacos não existe só um lado, só um sentimento. A vingança também pode explicar muita coisa. 

Nota do crítico: 4 Peixeiras de Luz (Ótimo)

Sinopse:

Em Planeta dos Macacos: A Guerra, o terceiro capítulo da franquia de blockbuster aclamada pela crítica, César e seus macacos são forçados a entrar em um conflito mortal com um exército de humanos liderados por um Coronel impiedoso. Depois que os macacos sofrem perdas inimagináveis, César luta com seus instintos mais sombrios e começa sua jornada mítica para vingar sua espécie. Conforme a jornada os coloca frente à frente, César e o Coronel são colocados um contra o outro em uma batalha épica que vai determinar o destino de suas espécies e futuro do planeta.

Trailer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *